11 de março de 2013

WOW: My Mad Fat Diary


Sabe quando você descobre um seriado novo, assiste um episódio dele e já fica completamente apaixonado pela história e pelos personagens? Pois é, foi basicamente o que aconteceu comigo (e acho que com todos que assistem) e My Mad Fat Diary.

Essa é uma série britânica do canal E4, a mesma emissora da consagrada série Skins e da queridinha Misfits, baseada no livro autobiográfico "My Mad, Fat Teenage Diary" de Rae Earl. Bem, acho que todos já sabem o quão obcecado por Skins e por séries britânicas em geral eu sou. Em uma dessas madrugadas de insônia, vagando pela minha dash do tumblr, passei por vários gifs diálogos engraçados, alguns textos fantásticos, e pouco a pouco fui percebendo que tudo isso vinha de uma mesma coisa. Até que  vi as tags nas fotos: "#my mad fat diary". Então, fui procurar saber o que era aquilo tudo. Eis que encontro uma nova série favorita.


O seriado se passa em 1996, e conta a história de Rae, uma adolescente de 16 anos muito acima do peso. Ela acaba de sair do hospital psiquiátrico, e se sente ainda mais deslocada no mundo. Inesperadamente, ela encontra Chloe, sua melhor amiga de infância, no caminho de casa. Chloe está saindo com um novo grupo de amigos e está completamente mudada. Rae é apresentada ao grupo, e aos poucos vai descobrindo que há sim pessoas legais em Lincolnshire.

Grande parte do sucesso da série se deve a sua protagonista, Rae. Durante os episódios acompanhamos os inúmeros pensamentos dela. Alguns sérios, outros hilários, mas, na maioria das vezes, todos completamente impulsivos. Com o passar do tempo, vamos vendo também a veracidade de Rae, todos os seus problemas. Por ser obesa, é comum para ela sofrer bullying, além de todas as inseguranças pelo peso e sua obsessão por comida. Posso dizer que tudo isso foi muito bem explorado.


Os amigos de Rae são personagens igualmente fantásticos*. O legal é que não há uma preocupação em si com a beleza deles, e sim a torná-los realistas. São todos tão distintos e bem caracterizados que é impossível não se identificar com algum deles. Temos Archie, um "nerd" músico; Izzy, uma menina que vive com a cabeça na lua; Chopp, o louco; Finn, o mal-humorado apaixonado por música; e Chloe, a melhor amiga da Rae. Fora eles, temos Kester, o psicólogo substituto de Rae e a mãe da Rae. Cada um deles desempenha um papel importante durante a história, diria até mais que o necessário, mas isso sendo uma coisa boa. Isso é o que a torna ainda mais realista.

Impossível não comentar sobre a trilha sonora do seriado. Ela foca muito nas bandas dos anos 90, dando um clima sensacional. Oasis, Blur, Radiohead, The Verves, The Cure, Garbage... um prato cheio para quem curte uma boa música! Com um destaque para Oasis, pois na série há várias referências à banda.


Ok, se você chegou até aqui e ainda está se perguntando porquê deveria assistir isso, eu te respondo: porque essa série de tv é F A N T Á S T I C A! Sério! Ela tem um clima tão reconfortante que, quando você vê, já está chorando porque terminou os seis episódios da primeira temporada de uma só vez (fato verídico)! É simples, divertida, profunda (sem ser piegas) e incrivelmente emocionante. O tipo de série pra qual vale dar uma chance, mesmo que você esteja com uma lista de séries em aberta enorme.

Pra finalizar, deixo o teaser da primeira temporada. Ah, a série já foi renovada para uma segunda temporada! Só nos resta a espera.



*: A verdadeira Rae Earl (autora do livro que inspirou a série) disse em seu twitter que todos os personagens da série são fictícios, com exceção dela (Rae) e de sua mãe. Já no livro, todas as pessoas citadas são reais.

Mateus Bandeira - @mateusbnd. 18 anos. Estudante de Cinema e Audiovisual na UFC e criador do Padoka. Apaixonado por cinema, música e literatura, espera algum dia viver de alguma dessas coisas - ou de todas elas. Sucker de cultura pop.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Comente aqui!