13 de agosto de 2013

O Fracasso da Maratona Literária 2013

Lembram quando eu disse que teria tempo na minha primeira semana de aula? Hahaha... Lembram quando eu disse que daria para cumprir minha meta da maratona literária?


Bons tempos... bons tempos.

Como vocês sabem (ou, se não, estão sabendo agora) estou cursando o terceiro ano do ensino médio. Aquele ano divertido em que o principal objetivo é passar no vestibular. Meu desempenho nele e para o quê quero prestar vestibular não vem ao caso agora, o problema é que o primeiro semestre foi tranquilo, na medida do possível. Estudei, fiz o que tinha que fazer, mas sem nenhuma preocupação com nada, e achei que no segundo semestre também seria assim.

Ledo engano.


Logo na primeira semana já senti tudo o que tentaram passar para mim: pressão. Muita pressão (o que é legal, de certa forma, porque trabalho bem melhor sobre pressão). Ainda somei com a minha frustração pelas minhas férias terem sido tão pequenas, os horários novos, mais aulas, e, aí sim, deu vontade de chutar o balde. Mas, felizmente, não é assim que as coisas funcionam, e estou me adaptando a minha nova rotina. Afinal, eu meio que gosto de estudar.

O lance é que me atrapalhei tanto com o booming que a escola teve, que acabei completamente desesperado e sem tempo para pensar na Maratona Literária. Quando eu chegava em casa a noite, a única coisa em que pensava era em minha cama. Até tentei pegar os livros, pra ver se andava mais na leitura, mas não conseguia nem ler cinco páginas direito. Quando eu piscava, já era de manhã, e eu tinha que me arrumar para o colégio.


"Tá, Mateus. Mas o que você conseguiu ler durante a maratona?"

Bem, amigo. Me esforcei.. Juro que me esforcei o quanto podia para ler ao menos três livros na semana, mas... não deu.

O que li:
Metade de "Três Céus", do Enderson Rafael.
Não posso nem dizer que não gostei, nem nada. A história é cativante, e o personagem principal, nem se fala. Fiquei apaixonado pelo mundo da aviação comercial por causa desse livro. O meu maior problema, na verdade, foi o tanto de informações que são jogadas durante a leitura. São tantas coisas, termos técnicos, e situações de voo extremamente descritivas que chega até a ser possível fazer leitura diagonal e ainda entender tranquilamente. O problema é que eu não queria fazer isso. Eu queria ler aquilo e absorver toda a informação, o que é um problema se você estiver sem tempo e se você estiver tentando bater uma meta, então já viu no que deu.

Começo de "When it happens", da Susane Colasanti
Esse foi o mais leve que consegui pegar da lista, pra falar a verdade. A história é legal, não tinha como errar. Peguei ele logo pra quebrar um pouco de "Três Céus", mas aí meu tempo foi diminuindo, diminuindo, diminuindo... e, é. Ainda não acabei ele.

Sabem os primeiros versos de Naïve, da banda The Kooks? "I'm not saying it was your fault, although you could have done more"? Então.

Haha. Pois é, galera. Esse foi o meu fracasso desempenho na Maratona Literária 2013. Não posso nem dizer que não foi divertido, porque foi. Desesperador, mas divertido. Muita gente teve desempenho muito melhor (o que já não é difícil), mas fiquei feliz em ver que eu não sou o único no barco dos sem meta batida. Foi legal participar de algo tão bacana e que uniu muita gente com o propósito de ler. Acho que nem leria o que li se não estivesse na maratona.

Até mais!

Mateus Bandeira - @mateusbnd. 18 anos. Estudante de Cinema e Audiovisual na UFC e criador do Padoka. Apaixonado por cinema, música e literatura, espera algum dia viver de alguma dessas coisas - ou de todas elas. Sucker de cultura pop.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Comente aqui!