21 de novembro de 2013

Como generalizar a juventude com base em uma parcela dela, ou: Bling Ring - A Gangue de Hollywood, de Nancy Jo Sales

Título Original: Bling Ring
Autor: Nancy Jo Sales
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Nº de Páginas: 272
ISBN: 9788580573596
Onde Comprar: Livraria Saraiva/Livraria Cultura/Book Depository (Em Inglês)
Sinopse: Entre 2008 e 2009, as residências de Lindsay Lohan, Orlando Bloom, Paris Hilton e diversas outras celebridades foram invadidas e saqueadas. Os ladrões, um grupo de jovens de famílias abastadas, levaram o equivalente a 3 milhões de dólares em joias, dinheiro e artigos de grife, como relógios Rolex, bolsas Louis Vuitton, perfumes Chanel e jaquetas Diane von Furstenberg. As notícias surpreendentes sobre o caso chocaram Hollywood e intrigaram o mundo. Por que esses garotos, que em nada correspondiam à tradicional imagem dos bandidos, realizaram crimes tão ousados? A jornalista Nancy Jo Sales entrevistou todos os envolvidos, incluindo os pais e os advogados dos jovens, e até mesmo as celebridades que sofreram os assaltos. “Em Bling Ring - A Gangue de Hollywood”, ela apresenta todos os detalhes de uma das quadrilhas mais audaciosas de nossos tempos.

Na primeira vez em que ouvi falar da Bling Ring, eu não sabia que era sobre a famosa gangue de Hollywood. Há alguns anos atrás, o canal de tv paga "E!" exibiu a maratona de um reality show da época, chamado "Pretty Wild". E, como é de lei, não havia nada melhor passando na televisão. Mesmo não sendo o maior fã desse tipo de programa, decidi deitar no sofá e assistir. O reality girava em torno de uma família, ou melhor, ao redor de Alexis e sua irmã adotiva, Tess. Basicamente, era uma saga levemente interessante para quem está morto de tédio deitado no sofá sobre a busca da família inteira pela fama. Do jeito mais barato, bem "à qualquer custo". Tudo bem às mil maravilhas, no maior estilo "Keeping Up With the Kardashians!"; até que Alexis começa a ter problemas na justiça com algo relacionado à roubos em casas de celebridades, com o nome até do Orlando Bloom envolvido no meio. Depois vieram dias de julgamento, e tudo o que poderia pensar era em como as pessoas inventavam histórias bizarras só para conseguir audiência. A questão é que, diferente do que eu imaginava, a história estava longe de ser inventada.

Hoje, a grande maioria das pessoas já sabem o que foi a Bling Ring: uma "gangue" formada por jovens que invadiam casas de celebridades como Paris Hilton, Rachel Bilson e Lindsay Lohan. A história chocou mais, na verdade, por serem jovens com uma vida relativamente boa. Pais com uma boa carreira, cercados de boas roupas, bons acessórios, fizeram com que fosse difícil de se acreditar que eles fossem realmente suspeitos daqueles crimes. Não havia uma razão aparente que servisse de motivação para o grupo. E foi isso o que atraiu mais a atenção de algumas pessoas como Nancy Jo Sales e Sofia Coppola, que usaram essa trama para projetos próprios..

Tive alguns problemas com esse livro, mas não pelo tema, nem nada do tipo, mas sim com a autora. Sim. Durante toda a leitura várias coisas me irritaram por causa dela. Para começar, parece que o livro todo ela só quer ser aquela senhora de idade que fala "esses jovens de hoje em dia...", só que um pouco pior, já que ela trata de uma forma chata e generalizada a ideia de que todos os jovens/adolescentes de hoje em dia são obcecados pela fama à qualquer preço. Não tem coisa mais chata que alguém que generaliza. Se isso fosse só durante um trecho ou um período do livro eu deixaria passar tranquilamente, mas é praticamente do começo ao fim, repetindo infinitamente a mesma ladainha.

A autora tentou dar uma romanceada no livro, fazendo grandes descrições dos ambientes em que estava enquanto buscava mais informações sobre o caso, descrevendo a bebida que estava bebendo e outras coisas mais, que só serviram para encher linguiça, me deixando com menos vontade de continuar lendo. É muito interessante todo o processo de busca e investigação sobre o caso que a autora mostra, mas o fato de ela querer dar uma ênfase em coisas irrelevantes tornou uma boa parte do livro muito chato pra mim.

Apesar disso, o livro ainda valeu um pouco pra mim, porque a história desse grupo é muito interessante, o que acaba valendo a leitura. O que fez cair a qualidade da leitura foi a escrita maçante e repetitiva da autora, o que faz com que o livro seja válido só para quem queira fazer um bom esforço para conhecer melhor a história desses jovens. Se você procura algo mais divertido, e que vá te dar uma visão, por mais que superficial, sobre a história, sugiro o filme da Sofia Coppola.

Mateus Bandeira - @mateusbnd. 18 anos. Estudante de Cinema e Audiovisual na UFC e criador do Padoka. Apaixonado por cinema, música e literatura, espera algum dia viver de alguma dessas coisas - ou de todas elas. Sucker de cultura pop.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Comente aqui!