2 de março de 2013

Muitas, demais...: E as estrelas, quantas são?, de Giulia Carcasi


Com duas visões marcantes do período mais complicado da vida de um adolescente, "E as estrelas, quantas são?" mostra que uma história simples pode ser tão majestosa quanto uma história aclamada por milhões.

Ganhei esse livro de presente de uma amiga muito especial (Beijão, Diana!) há um bom tempo. Segundo ela, esse livro era a minha cara, e assim que ela terminou a leitura, mandou pra mim. Quando o recebi, a primeira pergunta que surgiu em minha mente foi "Ué, mas são dois livros?", pois o livro é dividido em duas partes no estilo "vira-vira". Só depois de ler a sinopse descobri que é a mesma história, de diferentes pontos de vistas. Cada lado, uma visão.


De um lado temos Alice, inteligente, sonhadora e com grandes ideais, mas sente-se descolada em lugares com muitas pessoas. É apaixonada por todos os tipos de escrita, uma das melhores alunas de sua classe, mas o fato de defender suas ideias e maneira singular de ver o mundo faz com que seja vista como um ser de outro planeta por alguns. Então, Alice conhece Giorgio, um cara divertido, carismático, e que parece gostar mesmo dela. O encantamento de Alice por Giorgio logo surge, com todo o romantismo do rapaz.

Do outro lado temos Carlo, um garoto verdadeiro, dotado de extrema sensibilidade, e em não tem muito em comum com seus amigos. Então, por um certo motivo, ele começa a mudar sua personalidade aos poucos, para poder se encaixar. Ludovica, a garota mais popular e cobiçada pelos garotos do último ano passa a ter um interesse por Carlo. Logo, eles acabam se envolvendo de uma maneira forte.


Alice e Carlo sempre foram grandes amigos. Daqueles que sempre se entendem só com o olhar e com o sorriso, sabe se tem algo errado como o outro e tem uma ligação muito forte. O tempo veio, e as escolhas que fizeram os levaram a caminhos distintos, os separando por um bom tempo. Mas a vida é uma grande loteria, e os levará a incríveis descobertas, novos caminhos, e uma nova esperança para os dois.

"Porque não existe nada mais feliz do que duas histórias que se misturam."

Posso dizer que são poucos os livros que trataram da passagem da adolescência para a vida adulta de forma tão verossímil e tocante como E as estrelas, quantas são? o fez. A simplicidade nas palavras de cada uma das vozes, a destreza da autora ao caracterizar tão bem duas narrativas completamente distintas (Uma do Carlo, e outra da Alice), e mostrar o a visão de mundo dos dois protagonistas de forma única e completamente apaixonante. Em vários pontos da história uma ferida dessa fase é tocada, os medos, as vontades, as prioridades determinadas por nós e pelo mundo, e as consequências de nossos atos. Chega a ser praticamente impossível não se identificar com algum dos protagonistas!


O romance é repleto de referências à cultura pop, e à poesia clássica e contemporânea. Principalmente no "lado" de Alice, há várias referências em tudo o que pensa e no que escreve. Fora que as paredes do seu quarto são cobertas por citações pintadas à mão por ela ou algum de seus amigos. Seja algum verso de poesia, uma estrofe de música, ou só alguma frase aleatória. Já na parte do Carlo, há várias citações de rap italiano e algumas poesias.

A singularidade, não só no formato da história como em seu próprio desenvolvimento, é que dá o encanto para a história. Fiquei tão apaixonado de um jeito que já o reli várias vezes antes de conseguir escrever essa resenha. É um daqueles livros que você lê bem devagar para aproveitar cada frase e refletir sobre tudo.

E as estrelas, quantas são? é um romance sensível e intimista, que mostra da forma mais sincera como há vários caminhos na estrada da vida, mas todos te levarão aonde você tem que estar. Com referências excepcionais, o livro cria toda uma aura própria durante a leitura. É favorito declarado!

Título Original: Ma le stelle quante sono
Autor: Giulia Carcasi
Tradutor: Letícia Martins de Andrade
Editora: Planeta
Ano: 2011
ISBN: 9788576656012
Nº de Páginas: 272
Onde Comprar: Livraria Saraiva/Submarino/Cultura/Book Depository (Em Italiano)

Mateus Bandeira - @mateusbnd. 18 anos. Estudante de Cinema e Audiovisual na UFC e criador do Padoka. Apaixonado por cinema, música e literatura, espera algum dia viver de alguma dessas coisas - ou de todas elas. Sucker de cultura pop.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Comente aqui!