23 de maio de 2011

Books That Vice: Wither - Lauren DeStefano

Título Brasileiro: Aprisionada.
Série: The Chemical Garden.
Volume:  1.
Autor: Lauren DeStefano.
Editora: Simon & Schuster.
ISBN: 9781442409057.
Nº de Páginas: 368.
Previsão de Lançamento no Brasil: Junho de 2011.
Editora Brasileira: Editora Underworld
Onde Comprar: Amazon/Book Depository

Sinopse: E se você soubesse exatamente quando você fosse morrer? 
Graças à ciência moderna, cada ser humano se tornou uma bomba-relógio da genética - homens vivem somente até os vinte e cinco anos, e mulheres vivem apenas até os vinte. Nessa paisagem desolada, jovens garotas são sequestradas e forçadas a casamentos polígamos para manter a população de extinção. 
Quando a garota de dezessete anos Rhine Ellery é tomada pelos Gatherers para se tornar uma noiva, ela entra num mundo de riqueza e privilégio. Apesar do genuíno amor que seu marido Linden sente por ela, e uma tênue confiança entre as outras esposas, Rhine tem um propósito: escapar - para encontrar seu irmão gêmeo e ir para casa. 
Mas Rhine tem mais do que a perda da sua liberdade para lidar. O excêntrico pai de Linden está empenhando em descobrir um antídoto para o vírus genético que está perto de levar seu filho, mesmo se isso significa coletar cadáveres para testar seus experimentos. Com a ajuda de Gabriel, um criado que ela confia, Rhine tenta se libertar, no tempo limitado que lhe resta.
Wither conta a história de Rhine, uma jovem de 16 anos que vive em um futuro assustador. Devido a grandes pesquisas científicas a fim de descobrir uma cura para doenças que assolavam a humanidade, como o câncer e a AIDS, acabaram descobrindo uma cura. Só que esta “cura” deixa os seres humanos com uma saúde à beira da perfeição (como Rhine fala no livro, quase imortais). O que ninguém esperava, era que os filhos dessas pessoas que tomaram a tal cura nasceriam com a sua expectativa de vida contada. Os homens só vivem até os 25 anos de idade, e as mulheres até os 20 anos. Ao chegarem nessa idade, todos são tomados por um estranho vírus que os levam a um estranho acesso de loucura, e então, a morte. 

Rhine mora com seu irmão, Rowan, em um apartamento no centro de Manhattan, procurando sempre sustentar um ao outro com trabalho árduo. Mas quando Rhine é seqüestrada pelos gatheres (um grupo de pessoas que seqüestram garotas para participarem de casamentos poligamicos com um homem rico e poderoso a fim de terem filhos, e nesses filhos, fazerem testes para descobrir uma cura para o vírus que mata os filhos dos humanos da primeira geração (nome dado aos que tomaram a “super cura”). Então, Rhine é presa em uma enorme mansão de vastos jardins que parecem não ter fim após ser capturada pelos gatheres, tudo o que ela pensa é em fugir dali. Mas, será possível fugir dali quando se é vigiada 24 horas por dia como uma prisioneira?


Não sei porque, mas fazer uma resenha de um livro que você adorou é sempre uma das tarefas mais difíceis que há de se fazer. Aquela vontade de você expor tudo o que gostou no livro, suas opiniões, suas partes favoritas é tão grande, que não dá para expor tudo em uma simples resenha. Portanto, esta pode acabar por correr o risco de não ficar a altura do livro resenhado. E é com esse pequeno esclarecimento que começo minha resenha, pois sei que não ficará à altura do livro. Vai ser difícil ressaltar apenas os pontos cruciais do livro, mas eu vou tentar.

Há muito tempo estava de olho nesse livro. No ano passado, a Editora Underworld anunciou em seu twitter que havia comprado os direitos de toda essa trilogia. De início, fiquei encantado pela capa, aparentemente muito simples e que não transmite nada para quem não leu o livro, porém ela transmite TUDO para quem já leu o livro, do jeito que eu gosto. Depois, li a sinopse e me encantei ainda mais por aquela nova distopia, mas não o suficiente para querer comprar. Mas após a Diana do blog Wonder Books, como posso dizer, surtar no twitter com o primeiro capítulo deste livro, fiquei intrigado e fui ler também. Eis que fico mais que fascinado com o livro. Só pelo primeiro capítulo, já consegui sentir um grande impacto sobre mim. Não deu outra. No minuto seguinte, em plena madrugada de sábado, lá estávamos eu e Diana comprando o livro, e surtando em expectativas. Até que, enfim, o livro chega, e logo o devoro.

Whiter é um soco na sociedade. Um soco na ciência moderna. O livro não se intimida em mostrar um futuro triste e grotesco do mundo. A autora nem ao menos hesita em mostrar ao leitor um planeta Terra sujo, morto. No futuro criado pela autora, as pessoas tem que vigiar suas casas, seus mantimentos e pertences, pois sempre há pessoas que tentam roubar. Lutando para sobreviver. O livro também trata de temas bastante polêmicos na atualidade, como a prostituição e manipulação de embriões, tornando ele ainda mais atrativo aos olhos do leitor.

Sua narrativa é frenética. Ela alterna entre flashbacks e o presente, e surpreendentemente, não deixou o livro em momento algum chato. A escrita de DeStefano flui de maneira surpreendente, como se as palavras deslizassem pelos olhos do leitor, tornando a leitura, que já era prazerosa, ainda mais. Os personagens são bem construídos. Percebemos em Rhine uma guerreira, uma heroína, desde o início do livro, por sempre mostrar como ela batalha para sobreviver a cada dia, mesmo sabendo que está fadada a morrer aos 20 anos de idade. Não posso deixar de ressaltar o toque de humanidade da protagonista, pois ela sempre nos lembra o quanto está com saudades do irmão, e no quanto quer fugir para voltar a viver com ele. Outros personagens são igualmente cativantes como Gabriel, o mordomo que sempre ajudo Rhine em tudo, e inclusive em Linden, o anfitrião da mansão na qual Rhine está presa, e seu futuro marido.

Whiter é uma distopia única e cativante. Aborda uma nova visão de fantasia, mostrando que não é preciso ter lutas, sangue e muita ação para ser uma excelente distopia, apesar de ter os seus grandes momentos de ação, que apesar de não acontecerem constantemente, são ótimos. O nível do inglês é um fácil, quase chegando ao intermediário. Sobre a edição brasileira, a Editora Underworld informou que Wither será traduzido para Aprisionada e tem previsão para o próximo mês.

Enfim, pessoal. Sei que não consegui transmitir o quanto este livro é bom, mas, pelo menos tentei. Deixo aqui em baixo o primeiro parágrafo do livro, para que vocês possam ver como é mais ou menos o nível do inglês, certo? Obrigado por ler esta resenha até o fim, e sem dúvida alguma, é uma das mais especiais que eu já fiz. Então, até a próxima...

Nível de Inglês: Fácil/Intermediário
Rating:




1º parágrafo:
I wait. They keep us in the dark for so long that we lose sense of our eyelids. We sleep huddled together like rats, staring out, and dream of our bodies swaying.

Mateus Bandeira - @mateusbnd. 18 anos. Estudante de Cinema e Audiovisual na UFC e criador do Padoka. Apaixonado por cinema, música e literatura, espera algum dia viver de alguma dessas coisas - ou de todas elas. Sucker de cultura pop.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Comente aqui!